Parklets – renovando e promovendo o uso de espaços públicos

   

Reinventando o espaço público, os Parklets surgiram como um meio de transformar a área de estacionamento de automóvel na via pública em um pequeno espaço de convivência, estar e lazer. Um indício de que nós, pessoas, perdemos para os veículos na cidade. Esse conceito nasceu em São Francisco, Estados Unidos, no ano de 2005 e após ser utilizado em diversas cidades norte-americanas, expandiu-se por outros países.

O Parklet ocupa a extensão da calçada que normalmente seria vaga para dois carros. Além do assento, podem possuir outros equipamentos como floreiras, mesas, guarda-sóis e bicicletas. Para a instalação desse projeto, qualquer pessoa pode ter a iniciativa, contudo, é necessário a permissão pelos órgãos competentes do município e arcar com os custos da construção e manutenção.

San Francisco (EUA)

No Brasil, o primeiro Parklet foi implantado em São Paulo pelo ativista Lincoln Paiva. Juntamente com o Instituto que dirige, o Mobilidade Verde, colocou em prática alguns projetos como a “Bicicloteca” e as “Vagas-vivas”. O “nome próprio” pode variar conforme a cidade, no Rio de Janeiro, por exemplo, foi implantado como “Paradas Cariocas”.

Em 2014 a prefeitura paulistana regulamentou um decreto específico, o de número 55.045. “É importante entender que um parklet é um espaço público aberto para todas as pessoas. Isso significa que ao fazer um parklet você estará contribuindo com uma cidade melhor e cooperando por uma cidade aberta ao convívio. É proibido vender ou fazer qualquer tipo de propaganda dentro de um parklet.” Comenta Lincoln Paiva.

Parada Carioca no Rio de Janeiro

Vila Mariana, São Paulo, Brasil
Dinamarca
London, Inglaterra
Oakland, EUA
São Paulo, Brasil
Boston

Referências: Bê-á-bá do Parklet e Vagas de carros são transformadas em área de convivência.

Melhores Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *